Wednesday, January 10, 2007

Para Nonni

Só a ti, minha pomba, eu confesso os meus pecados. Só a ti e a mais ninguém nesse mundo de meu Deus.
Só a ti eu confesso minhas fraquezas, meus desejos mais profundos, minhas iras, minhas queixas, frustrações e bem-quereres.
Só a ti, minha musa inspiradora, eu entrego o meu coração. Só a ti e a mais ninguém nessa imensidão da terra.
Quando vejo no fundo dos teus olhos, pequena Nonni, a pureza e a doçura do teu amor se mostram sem túnicas, sem mistérios. Assim como os teus erros, teus anseios e pecados se revelam sem piedade, sem brandura: nus, como vieram a ti, como vêm do fundo dos teus mistérios de dor.
Estende-se por toda a eternidade o Amor. Durará enquanto durar o sonho, enquanto durar a noite, enquanto o instante durar. Ficará em mim enquanto o Universo for meu lar.
Só a ti, minha pomba, confessarei os meus pecados... E o Amor, certamente, será sempre o maior deles.

Data incerta - Entre 1999 - 2002


1 comment:

MARCELINO said...

nothing to say ...